O futebol e o Galo de hoje, onde erramos?

Quem viu a estreia do PSG no campeonato francês viu uma situação bizarra no início do jogo. A saída da bola era do adversário, muito inferior ao PSG, o jogador dá uma bica para a lateral.

Deu a bola para o PSG pois sabe das limitações que tem com ela, é o cúmulo da humildade. É o retrato do futebol brasileiro atual, quem tem a bola não sabe o que fazer com ela ou tem muita dificuldade em fazer.

Muito tem se falado de gols perdidos, mas pouco se fala ou não se fala que ataques propositivos contra defesas bem postadas, as defesas têm ganhado de goleada.

Para ser claro, um time que propõe jogo enfrenta uma defesa postada, a defesa postada provoca mais erros do ataque, portanto, mesmo que finalize mais, ele erra mais, não necessariamente por incompetência dos atacantes e sim por dificuldade.

Fazer um gol em contra-ataque é muito mais fácil, você pega a defesa de calça curta, com toques rápidos a situação do atacante para a finalização fica muito melhor. O atacante pode perder o gol, mas a chance de acontecer é infinitamente maior.

Vamos ao exemplo, o GALO com o time completamente reserva contra o Grêmio se empolgou no início do jogo. O time sofre de uma ansiedade absurda. Quando você vai ver está todo mundo no ataque. O lance do gol do Grêmio foi originado de um pênalti no Adilson. Sem colocar a culpa no juiz por não ter dado o pênalti no Adilson, o que diabos o volante está dentro da grande área adversária sofrendo pênalti? Com o time titular já seria estranho, imagina com os reservas. O resultado foi um contra-ataque rápido do Grêmio e o gol aos 4 minutos de jogo. Tomar gol a qualquer momento é péssimo, mas tomar gol cedo é a morte no futebol brasileiro. O time que faz se fecha e o derrotado é obrigado a sair mais, dando o contra-ataque e a morte.

Pegamos dois treinadores “modernos” esse ano, os caras devem sonhar com o time atacando e defendendo em bloco, na teoria é lindo, na prática é uma tragédia. Alguém imagina o Pierre sofrendo pênalti? Ou o Donizete? Não lembro deles na área adversária para sofrer. A defesa hoje é muito mais importante no Brasil. A defesa, a inteligência e a calma.

O Corinthians quando enfrenta defesas bem postadas sofre, mas ai vem o diferencial, eles sabem ter paciência, calma e inteligência para esperar. O outro time como não tem a mesma inteligência e paciência uma hora vai querer a bola para atacar, o Corinthians joga a corda para o adversário se enforcar. Ai no contra-ataque vence os jogos. Empatar com Avaí e Chape não tem problema, veja que contra os times ditos grandes, Corinthians ganhou quase TODOS.  São times que acham que tem que ganhar do Corinthians, são times que pegam a corda e enrolam no pescoço mais fácil.

Corinthians tem 5 empates no campeonato, venceu o resto, dos 5 empates, 3 foram em casa, ou seja, onde tem que propor o jogo empatou mais.

Empatou com Chapecoense, Coxa, Atlético-PR, Avaí e Flamengo. Tirando o Flamengo, 4 times que não tem vergonha de jogar fechados contra eles.

Contra defesas postadas os recursos mais utilizados para a quebra do bloqueio são os cruzamentos e chutes de longa distância. Mais os cruzamentos, matematicamente os cruzamentos é dos piores artifícios para se fazer gols. O Barcelona não bate escanteio na área mais. Mas pode se usar, porém tem que ter alguém que saiba cruzar, no caso do GALO só o Cazares e Alex Silva possuem assistências originadas de cruzamentos. Otero tem 46 cruzamentos no campeonato, 41 errados, como se deixa um jogador desse continuar utilizando do fundamento? Parece que o barco está à deriva. Mesmo na diretoria poderia se cobrar esses números. Não acho que é interferência no trabalho do treinador, o presidente não só pode, como deve chegar com relatórios e buscar explicações. Se não for o presidente, a imprensa deveria, mas não faz. Quase sempre são as mesmas perguntas idiotas para as mesmas respostas.

PERGUNTA 01: Micale, o Otero tem 46 cruzamentos no campeonato, 41 errados e 0 resultou em gol, por que a insistência?

PERGUNTA 02: Micale, o Corinthians toma 1 gol a cada 121 cruzamentos contra, por que usar o cruzamento contra eles?

PERGUNTA 03: Micale, o Internacional foi o líder de cruzamentos do campeonato 2016, não preocupa o GALO ser o líder desse ano?

PERGUNTA 04: Micale, jogar contra o Grêmio fora de casa e com time reserva não demandava cuidados? O que o Adilson estava na grande área do Grêmio no 1º gol? Dar o contra-ataque para uma equipe conhecidamente competente nos contra-ataques não é facilitar a vida do adversário?

PERGUNTA 05: Micale, o jogador Pablo de 24 anos, posição de atacante, tem 4 gols na carreira. O que te leva a acreditar que ele possa trazer resultados no ataque depois nos dias atuais? Se a ideia é um secretário de lateral, por que não pedir a volta do Carlos, que fazia o serviço de secretário de lateral e tem mais gols?

PERGUNTA 06: Micale, Élder e Capixaba não serviram para a Ferroviária, por que o GALO acredita que eles serão a solução?

PERGUNTA 07: Micale, Bremer (18 anos) deu mais resultado que a turma de 24 anos, não é melhor apostar nos meninos da base do que nos não tão meninos que não vingaram?

PERGUNTA 08: Micale, sabemos que seu estilo de jogo é o de ataque, mas em um time com dificuldade não é melhor postar a defesa para depois pensar o ataque? Não é melhor jogar no contra-ataque quando puder?

Parte da torcida acha que temos gênios lá no GALO, são seres humanos normais, como nós, a diferença é que sabem mais o que está acontecendo por lá, mas parece que nada é feito para mudar. O futebol brasileiro está cristalino, não estou dizendo que é fácil jogar como o Corinthians, mas não precisa de jogadores caros para isso, tanto é que o Corinthians não é caro. Uma coisa é um cruzamento como foi o gol do Corinthians e do Grêmio contra o Galo, originados de contra-ataque, outra é chuveirar na área com defesa postada. Vale lembrar que os cruzamentos em contra-ataque que acontecem os gols ajudam as estatísticas do chuveiro pois não deixam de ser cruzamentos, então imagina como seria os números de cruzamentos excluindo os cruzamentos em contra-ataques.

Eu como torcedor espero que quem está no clube enxergue essas coisas, mas parece que não. Roger é um cara que eu considero inteligente pelas entrevistas e não fazia nada a respeito dos cruzamentos, pelo contrário, piorava. Beira o inacreditável. O cara ganha 500 mil reais por mês para simplesmente não fazer PORRA NENHUMA em relação aos cruzamentos. Eu como presidente cobraria e se ele respondesse que isso é a estratégia dele, demitiria. É MATEMÁTICA. O LÍDER DE CRUZAMENTOS 2016 FOI O INTERNACIONAL e o líder atual é o GALO que está na 14ª colocação, precisa ser gênio para ver que isso não é a saída?

Otero é um jogador de ataque, ele não entrega gols, não entrega assistências, não entrega nem cruzamento certo e continua entrando. Nem passes para assistências ele entrega, você pode escolher qual número usar. E já que tem tanta viúva do Levir na torcida, que tal a gente lembrar do “JOGADOR É NÚMERO”. Sei da ressalva que nem sempre os números mostram a verdade, já vi jogadores com números piores jogar bem e também já vi jogadores com números bons jogar mal. O volante Willians, ex Fla, Inter e CEC é um exemplo, ele era o campeão de bolas roubadas sempre, mas acabou não ficando em nenhum time. Os volantes do Corinthians não são campeões de desarmes, mas alguém tem dúvida que são grandes marcadores?

No caso do Otero não tem defesa.

Enfim, eu queria deitar na cama e dormir tranquilo que o GALO está entregue nas mãos de gente inteligente que pensa nisso tudo e analisa o futebol como está ocorrendo. Mas a insistência em coisas erradas me faz crer que infelizmente pode ser que não seja assim.

As pessoas que entram no GALO, acabam ficando um pouco arrogantes, adotam a frase “Isso é coisa de torcedor” ou “Pensamento de torcedor” de forma depreciativa e na minha opinião, essa arrogância é a receita do fracasso. A gestão RG/Ziza foi uma das mais arrogantes que vi, torcedor é burro e quem trabalha no clube é tudo Deus com QI acima da média.

Infelizmente começo a ver isso novamente no clube. Na época do Kalil eu dormia tranquilo, hoje não mais. Já que a demissão de treinadores tem desgastado tanto, talvez seja melhor conversar com o comandante. Não é ingerência, é a busca por respostas, caso contrário dentro de pouco tempo estaremos trocando de novo. Errar é humano, insistir no erro é burrice.

Precisamos de mais Simeones no GALO e menos Guardiolas. Mais humildade e vontade. Não tem porra nenhuma de GALO Doido, eu quero é jogar o que quem está se dando bem hoje está jogando. E que fique claro, com o Roger só jogamos assim nas finais do Mineiro e foi quando ganhamos o campeonato.